OS QUATRO CAVALEIROS DO APOCALIPSE.


A igreja tem se preocupado em produzir cristãos bem sucedidos aqui na terra.
Muitas igrejas não pensam no futuro, porque estão retidas no presente. O seu futuro tem a ver com o que você pensa sobre ele.
Os sinais que temos visto e as articulações políticas que têm sido montadas mostram que a rapidez com que os fatos estão acontecendo é alarmante. Estamos correndo para os tempos do fim, e a igreja está preocupada com o já, com o agora. 
Muitos dizem: A igreja está crescendo! Pra onde, pra quê?
Quantas obras estão evangelizando as pessoas, não convencendo as pessoas sobre uma religião melhor, mas para a única opção de salvação. Isso é Evangelismo.
Quantas obras estão realmente transformando vidas. Não apenas tornando as pessoas mais ricas. Mas transformando seu caráter?
Quantas obras estão ensinando as pessoas sobre a Palavra de Deus? A aprenderem realmente a Palavra de Deus e não apenas teorias humanas.

O que está acontecendo no Oriente Médio e ao redor do mundo, nada mais é que uma prova cabal de que as profecias estão cada vez mais próximas e presentes em nossa geração. Muitas pessoas falam sobre uma volta iminente de Jesus, mas não pensam nas conseqüências dessa volta. 
  • Será um dia de Graça, mas também de Juízo.
  • Será um dia de Alegria, mas também de Pranto.
  • Será um dia de Escolhidos, mas também de Perdidos.
  • Será um dia de Vitória, mas também de Derrota.
  • Será um dia de Gozo e Paz, mas também de Sofrimento.
  • Será um dia de Santos, mas também de Pecadores.
  • Nesse dia não haverá a mínima possibilidade de fugir da presença do Senhor (Analogia á Jonas)

O CUMPRIMENTO DAS PROFECIAS

As Escrituras revelam que no AT mais de 200 profecias bíblicas falam sobre a 1º Vinda de Jesus:
Descendência de Davi – Nasceria de uma virgem – Na Cidade de Belém – Todas elas se cumpriram.

Mas o as Escrituras revelam mais de 300 profecias sobre a 2ª Vinda de Jesus. As Escrituras dizem que:
  • Na 1º vinda ele veio como Homem de Dores – Na 2º vinda Ele virá como o Deus Todo Poderoso.
  • Na 1º vinda ele veio como Cordeiro de Deus – Na 2º vinda Ele virá como o Leão de Judá.
  • Na 1º vinda ele veio como Príncipe da Paz – Na 2º vinda Ele virá como Rei de reis e Senhor dos senhores.
  • Na 1º vinda ele veio como Expiação dos Pecados – Na 2º vinda Ele virá para Julgar Pecadores.
  • Na 1º vinda ele veio como um Bebê – Na 2º vinda Ele virá montado em um Cavalo Branco com Poder e Grande Glória
As Escrituras afirmam que Esse dia será conhecido por todos os homens na face da terra.

Alguns anos atrás um teólogo americano, estudioso de Profecias Bíblicas, chamado Gordon Lindsay, enumerou 23 Sinais sobre a próxima Vinda de Cristo:
  1. O aumento do Saber – Dn 2:4
  2. O automóvel – Nm 2:4
  3. O avião – Is 31:5
  4. O rádio e televisão – Ap 11:9
  5. A bomba atômica – Ap 13:13
  6. A bomba H – Mt 24:21-22
  7. O aumento de Terremotos – Lc 21:11
  8. O aumento de Maremotos – Lc 21:25
  9. A plenitude do tempo dos Gentios – Lc 21:25
  10. A reconstrução de Jerusalém – Jr 31:28-40
  11. A restauração da Palestina – Ez 36
  12. A confederação Russa – Ez 38-39
  13. A potência Chinesa – Ap 16:12
  14. Os flagelos mundiais (fome – pestes e doenças) – Mt 24:7
  15. A luta entre o Capital e o Trabalho – Tg 5:1-4
  16. O ressurgimento do Sobrenatural – Jl 2:28-29
  17. A igreja morna – Ap 3:15-16
  18. Os escarnecedores de Deus – 2Pe 3:3-4
  19. O aparecimento de Falsos Cristo e Profetas – 1Tm 4:1-3
  20. A falta de fé como nos dias de Noé – Lc 17:26-27
  21. Uma juventude sem lei – 2Tm 3:1-2
  22. O suicídio e a violência mundial – Mt 24:22
  23. A pregação do Evangelho em todo o mundo – Mt 24:14

Esses sinais demonstram que Jesus está as portas de usa igreja. Jesus não está mais sentado em seu trono, Jesus não está mais arrumando a mesa do Grande Banquete, ele está vindo resgatar a sua Noiva, a Igreja. Muitas profecias estão sendo cumpridas em nossa geração. Sinais claros de que a Bíblia está dando informações sobre a proximidade deste evento:
  1. O renascimento de Israel: No dia 15 de Maio de 1948. Fato inédito em toda a história
Is 66:8 “Quem já ouviu uma coisa dessas? Quem já viu tais coisas? Pode uma nação nascer num só dia, ou, pode-se dar à luz um povo num instante? Pois Sião ainda estava em trabalho de parto, e deu à luz seus filhos”.
  1. O conflito Árabe Israelense : Essas terras formam os países: Jordânia, Arábia Saudita, Egito e Síria.
Sl 83:6-8  “as tendas de Edom e os ismaelitas, Moabe e os hagarenos, Gebala, Amom e Amaleque, a Filístia, com os habitantes de Tiro. Até a Assíria aliou-se a eles, e trouxe força aos descendentes de Ló”.
  1. O retorno dos judeus para Israel:
Sf 3:10 “Desde além dos rios da Etiópia os meus adoradores, o meu povo disperso, me trarão ofertas”.
Is 43:6 “Direi ao norte: Entregue-os! e ao sul: Não os retenha. De longe tragam os meus filhos, e dos confins da terra as minhas filhas”

4-   A auto-estrada chinesa e a drenagem do Rio Eufrates: Uma construção que avança em direção á Israel, chamada de superauto-estrada, ele corre através da Ásia, não permitem que estrangeiros se aproximem dela, ele vai do sul da China, atravessando Tibet,  Afeganistão e Paquistão. Essa é uma das profecias mais interessantes:
Ap 16:12 “O sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates, e secaram-se as suas águas para que fosse preparado o caminho para os reis que vêm do Oriente”.

Existem muitas outras profecias que poderíamos enumerá-las aqui, como: A reconstrução da Babilônia, a Pregação do Evangelho em todo o planeta, etc.

OS CAVALEIROS DO APOCALIPSE

  1. O primeiro cavaleiro é uma imitação de Jesus: Compare com Ap 19:11-16
Ap 6:2 Olhei, e diante de mim estava um cavalo branco. Seu cavaleiro empunhava um arco, e foi-lhe dada uma coroa; ele cavalgava como vencedor determinado a vencer.

  • O impostor. O Anti-Cristo: Cavalgava como vencedor (não o era de fato. Aqui representa a soberba claramente demoníaca, o espírito da conquista) ele era determinado á vencer, ou seja, faria qualquer coisa para obter o poder.
  • Ele empunha um arco sem flechas. Um arco é uma arma de guerra, esse cavaleiro era o instrumento usado por satanás para deflagrar suas setas malignas.
Ef 6:16 Além disso, usem o escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as setas inflamadas do Maligno.
  • Foi-lhe dado uma coroa, Ele não á conquistou. Farão deste homem, um rei, um semi-deus. Esse anticristo trará prosperidade sobre aqueles que ele governa 

CUIDADO COM A CONFIANÇA EM UM POLÍTICO MESSIÂNICO

Uma boa parte da igreja está sendo ensinada á crer na prosperidade e na felicidade dos bens materiais. A buscar mais os milagres do que á Deus.  A igreja está sendo preparada para adorar o anti-Cristo.
  1. O segundo cavaleiro é um senhor de guerra:
Ap 6:4 Então saiu outro cavalo; e este era vermelho. Seu cavaleiro recebeu poder para tirar a paz da terra e fazer que os homens se matassem uns aos outros. E lhe foi dada uma grande espada.
  • Essa espada que tira a paz é a espada do terrorismo, das guerras, do Hamas, do Hezbolla, dos traficantes nos morros e nas favelas das grandes cidades do medo e da perseguição, uma espada assassina. O resultado dela é o número de mortes nas ruas e o aumento crescente da violência. A cor desses dias será a cor vermelha, de sangue. Não estamos vivendo isso?
  • As ameaças nucleares e biológicas estarão sendo aplicadas, juntamente com todo tipo de violência e ataques á integridade humana, até o Armagedon. Nunca mais se encontrará paz na terra.

CUIDADO COM A CONFIANÇA NO PODERIO BÉLICO
A igreja não sabe lidar com a possibilidade da guerra e suas conseqüências. Em quais países em guerra a igreja têm investido. Que grande instituição cristã está ajudando os países do oriente médio, ou os países como Guiné Bissao ou Ruanda que estão em guerra civil, qual a mobilização mundial para que isso acontece através da igreja? Nenhuma. Muitos missionários sozinhos e desamparados por suas igrejas vivendo em condições péssimas.

  1. O terceiro cavaleiro simboliza a fome:
Ap 6: 5-6 Quando o Cordeiro abriu o terceiro selo, ouvi o terceiro ser vivente dizer: “Venha!” Olhei, e diante de mim estava um cavalo preto. Seu cavaleiro tinha na mão uma balança. Então ouvi o que parecia uma voz entre os quatro seres viventes, dizendo: “Um quilo de trigo por um denário , e três quilos de cevada por um denário, e não danifique o azeite e o vinho!”.
  • O colapso econômico e a centralização de poder têm resultado na pior e mais devastadora fome sobre a face da terra. Uma das conseqüências das guerras é a fome.
  • Antigamente um dia de trabalho valia um denário, aproximadamente 50 centavos de real. Uma medida de trigo seria suficiente para apenas uma refeição, sem azeite ou vinho. Isto simboliza que haverá dias que as pessoas trabalharão o dia todo para comer apenas uma refeição crua, sem o preparo (azeite) e sem acompanhamentos (vinho).
  • A inflação monetária e o pouco valor do dinheiro, gerará pessoas desnutridas e a cor negra simboliza a desnutrição e a fome que hoje vemos assolar alguns países da África. Esses acontecimentos tomarão conta de todo o planeta.
  • Causas da fome:
- Anarquia generalizada.
- Assassinatos por pratos de comida.
- Manifestações públicas e suicídios em massas.

Qual o caráter da igreja em relação á isso, cada vez mais os cristãos têm se preocupado no ‘pão meu de cada dia” e esquecem que muitas pessoas têm passado fome ao redor do planeta. Quantas refeições poderíamos mobilizar por mês aos desabrigados?
Obs: Vamos acabar com a fome? Nunca, mas poderemos amenizar as dificuldades de nossos dias.

  CUIDADO COM A CONFIANÇA NA ECONOMIA GLOBAL
  1. O quarto cavaleiro trás a morte:
Ap 6: 8 Olhei, e diante de mim estava um cavalo amarelo. Seu cavaleiro chamava-se Morte, e o Hades o seguia de perto. Foi-lhes dado poder sobre um quarto da terra para matar pela espada, pela fome, por pragas e por meio dos animais selvagens da terra.
  • Uma quarta parte da população morreria, significa que, 1,5 bilhão de pessoas morreriam por causa da fome, doenças contagiosas, pragas e ataques de animais selvagens.
  • Temos vistos que doenças e pestes como: Aids, Ébola, A gripe das aves, A doenças das vacas loucas, as drogas e tantas outras possibilidades podem trazer um genocídio em massa, em nossos dias isso têm aumentado consideravelmente.
  • O mais surpreendente é que a morte e o inferno possuem autoridade sobre 1,5 bilhão de pessoas. Essas pessoas morrerão e irão para o inferno. A característica desse cavaleiro é assustadora, ele possui uma cor, verde-pálido (amarelo). A cor da desgraça.
Ao que tudo indica estamos vivendo esse período. Estes cavaleiros já tiveram a ordem dada. A característica marcante da tribulação e que haverá ainda situações de extrema angústia e sem comparação.

Mc 13:19 “Porque aqueles serão dias de tribulação como nunca houve desde que Deus criou o mundo até agora, nem jamais haverá”.

CUIDADO COM A CONFIANÇA NA MEDICINA MODERNA

Três ordens para os cristãos e a igreja de hoje:

1- Toda mensagem na igreja deve nos conscientizar da proximidade do  Reino de Deus:
Mt 10:7 Por onde forem, preguem esta mensagem: O Reino dos céus está próximo.

2- Nossa vigilância deve estar pautada nos critérios bíblicos e na oração
1Pe 4:7 O fim de todas as coisas está próximo. Portanto, sejam criteriosos e estejam alertas; dediquem-se à oração.

3- A grande crise da igreja não é o pecado, mas a falta de arrependimento.
Ap 1: 3 Feliz aquele que lê as palavras desta profecia e felizes aqueles que ouvem e guardam ao que nela está escrito, porque o tempo está próximo.

ESTAMOS PRÓXIMOS DO FIM E COMO SERÁ?

O Pastor Enéias Tognini fez uma descrição em seu livro “O plano de Deus e o Arrebatemento” de como será esse dia:

Será um ano determinado, num certo mês, semana, dia e hora, segundo a vontade de Deus, conforme a ordem do Senhor, o Arcanjo fará ouvir a sua voz, se no Brasil forem 14 horas, no Japão será 2 da madrugada, em São Francisco serão 9 da manhã, em Londres 17 horas e em Moscou 19 horas.

Será um dia calmo, o padeiro assará o pão, as lojas estarão abertas, as pessoas iram para o seu trabalho, os aviões, trens, carros e ônibus circularão normalmente, as pessoas estarão se casando, passeando, se divertindo, os policiais estarão trabalhando, os médicos, os juízes em suas cátedras, os lavradores estarão plantando, os grandes estarão governando, em um hemisfério muitos estarão dormindo, outros se perdendo nos prazeres da carne, nos jogos, em prostituições, em vícios, enquanto os remidos do Senhor estarão em vigílias, em cultos, em círculos de orações, e muitos outros que se dizem crentes estarão reunidos com ímpios se perdendo e se deixando enganar pelo inimigo.

Quando a trombeta de Deus tocar nos céus, haverá um impressionante fat em todo mundo, as sepulturas serão abertas sem o toque de mãos humanas, a terra devolverá seus mortos, o fogo e a água também. Desde o primeiro morto que morreu em Cristo, talvez Abel, até o último que morreu á um minuto atrás, todos, todos os mortos EM CRISTO, ressuscitarão primeiro. Um exército que ninguém pode contar começará a subir, subir, subir aos céus, com um corpo glorificado e com roupas lavadas no sangue do Cordeiro em grande triunfo. Os sepulcros dos Santos de Deus ficarão vazios e nós que ficarmos vivos juntamente subiremos e nos uniremos e com O Rei dos Reis estaremos para sempre.

Nessa altura o mundo que ficar entrará em colapso e confusão. Marido e mulher dormem numa cama, a mulher tem Cristo, já foi arrebatada, o marido incrédulo, ficou para atravessar a grande tribulação, o marido procurará sua esposa por toda a parte e não descobrirá. Em uma certa família, todos estarão á mesa, os pais foram arrebatados, os filhos incrédulos ficaram. Em muitas empresas pessoas sumiram de repente enquanto outros estão á sua procura. Todos começam á dizer: “Eles desapareceram misteriosamente!”. 

As autoridades policiais não podiam atender ao enorme número de pessoas que reclamavam o desaparecimento de entes queridos, filhos, pais, esposas, maridos, patrões, empregados, todos sumiram, os jornais estampam as notícias na primeira página. A televisão lança apelos. As notícias indicam que foi um fato mundial.
Um homem chora a perda de sua mulher, a esposa desesperada porque ficou sem seu marido e filhos crentes, os pais choram a falta do filho, o filho chora a falta dos pais. As pessoas não sabem mais o que fazer. Alguns atingem as raias do desespero e da loucura, por toda a parte existe uma grande confusão. Ninguém mais trabalha, não comem, não tem paz, ninguém realiza suas tarefas. Nada mais está normal.

Alguns se lembram de ir até os templos evangélicos aonde os desaparecidos costumavam estar, mas encontram as portas fechadas. Agora as pessoas estão com suas Bíblias na mão, mas chegaram tarde, nunca aceitaram á Cristo como Salvador. Muitos que tinham as bíblias na mão, nunca quiseram tê-la em seus corações, nunca se converteram, nunca deixaram seus pecados de lado, muitas delas haviam nascido em lares evangélicos, mas nunca deixaram o poder transformador de Cristo operar em suas vidas, outros que já haviam estado na igreja, mas nunca se entregaram á Cristo verdadeiramente. Enganaram os homens com suas aparências, mas não conseguiram enganar á Deus. Não buscaram o Senhor enquanto Ele podia ser achado.

Precisamos nos arrepender e pedir que Cristo nos guarde desta tão temida hora.

O MISTÉRIO DO CRESCIMENTO - Mc 4:26-29


Esta é uma parábola exclusiva de Marcos.
Esta parábola é singular, pois ela carrega o mistério do Crescimento do Reino em nós.
É uma analogia ao crescimento do Reino em nós. Precisamos perceber que o Reino exige de nós certos estágios, certas demandas, de tempos em tempos.

Nós jamais podemos agir sempre do mesmo modo, em nossas vidas. Deus espera de nós cada vez mais atitudes de ousadia e intrepidez. Nós estamos crescendo todos os dias. Todos os dias Deus espera um desenvolvimento em nós.

Deus estabelece em nós o crescimento. O REINO DEMANDA DESENVOLVIMENTO.
1Co 3:6 Eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem fez crescer.
1Co 13:11 Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino.
2Co 9:9-11 Como está escrito: “Distribuiu, deu os seus bens aos necessitados; a sua justiça dura para sempre”.Aquele que supre a semente ao que semeia e o pão ao que come, também lhes suprirá e multiplicará a semente e fará crescer os frutos da sua justiça. Vocês serão enriquecidos de todas as formas, para que possam ser generosos em qualquer ocasião e, por nosso intermédio, a sua generosidade resulte em ação de graças a Deus.
2Pe 2:38 Cresçam, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, agora e para sempre! Amém.

O MISTÉRIO DO CRESCIMENTO

Os três estágios do crescimento:
A Erva: O reino oculto. O milagre que está sendo gerado dentro de nós. A atividade do Espírito Santo em nossa vida de forma reservada. Uma ação que não é por nós entendida.
Quando a semente é lançada, logo começa uma ação (ERVA) uma manifestação interior, um desejo interno de mudança, um incômodo (algo está crescendo por dentro).

A Espiga: O reino manifesto. É o período em que passamos a experimentar a glória de servir ao Senhor. É quando Deus nos estabelece como autoridade e para autoridade.
A semente toma forma de maneira visível. Suas folhas e formato começam a ser desenhados.
As pessoas começam  a perceber suas características. Mas ainda falta a maturação.

O grão cheio de Espiga: O reino majestoso. É o período glorioso, o estágio em que Deus liberará o melhor do seu Reino para os redimidos dele. A prosperidade de todas as coisas.
A maturidade, o fim do preparo. O exercício de suas habilidades. O momento certo da maturação não é determinado pelo relógio do homens, mas pelo processo de Deus.
Este é o grão preparado para a colheita, para a abundância, para o resultado.

Quem é quem na parábola:
  • O semeador: É aquele quem Deus usa para lançar a semente (palavra). Vs 26-27
Ele prosseguiu dizendo: “O Reino de Deus é semelhante a um homem que lança a semente sobre a terra. Noite e dia, estando ele dormindo ou acordado, a semente germina e cresce, embora ele não saiba como.
- O semeador espera o processo natural das coisas acontecerem no solo.
- Existem momentos em que a vida espiritual parece rotineira e simples demais.
- O semeador não sabe como a semente cresce. Qualquer interferência pode ser catastrófica. Isso é uma alteração do crescimento natural.
  • Semente: a Palavra de Deus. O Rhema de Deus em nossa vida.
  • O solo: O coração dos ouvintes (quais são os nutrientes do solo que fazem com que a semente (palavra) germine?
- Solo Fértil – Com bons nutrientes.
- Solo Árido – Sem força ou vigor para fazer crescer.
Deus nos deu o poder para criar ou para destruir. A história do pai alcoólatra e drogado e de seus dois filhos: O que você esperaria de um mim diante de um pai como o que eu tive?
A forma como enxergamos para a nossa vida nos dá a capacidade de sermos pessoas doentes ou pessoas saudáveis. 
Mt 6:22-23 “Os olhos são a candeia do corpo. Se os seus olhos forem bons, todo o seu corpo será cheio de luz. Mas se os seus olhos forem maus, todo o seu corpo será cheio de trevas. Portanto, se a luz que está dentro de você são trevas, que tremendas trevas são!
- A terra por si mesma frutifica, sem uma intervenção maior do que lançar a semente. (Por si mesmo (gr. Automate = automática) O Reino de Deus é automático. Ele acontecerá em nossas vidas apesar de nossas limitações e tribulações.

Princípios espirituais para a sua vida.
  1. O seu crescimento vai depender mais de suas raízes do que aquilo que aparece pra fora.
  1. O crescimento não é produto do esforço humano, mas da vida com Deus.
  1. Recuse-se a estar dentro da média geral.
  1. Se você não está crescendo é porque você não está saudável.

Esta parábola de Marcos nos dá certeza que seremos transformados e cresceremos para um propósito maior, um alvo excelente que Deus tem reservado para nós.

A SUPREMACIA DA PALAVRA DE DEUS.


Infelizmente quando a minha geração nasceu, já não havia mais os grandes pregadores. Penso nas cruzadas de evangelismo e poder da década de 60 e 70 no Brasil. Grandes homens de Deus que derramavam o espírito e o corpo na pregação cheia de unção. Penso nos famosos sermões do passado, como “Pecadores na mão de um Deus Irado” de Jonathan Edwards, o fogo evangelistico e avivalista de John Wesley ou mesmo com Spurgeon pregando no Metropolitan Tabernaculo, em Londres. Spurgeon dizia: “A maior mensagem de um homem é a sua própria vida aos pés de Cristo”.

Vivemos uma grande carência de autoridade espiritual nos púlpitos de hoje. Existe uma espécie de “insatisfação” na igreja moderna. A Palavra que saí de nossos púlpitos parece não mais alimentar as pessoas famintas por uma pregação poderosa e transformadora.

Os ouvintes de nossas igrejas parecem que estão saindo da mesma forma que entraram “vazios”. Quando uma mensagem não consegue transformar um coração fatalmente o endurece. Karl Rahner disse que “os cristãos são a razão de existirem ateus no mundo, pois aqueles que proclamam Deus com a boca e o negam com o estilo de vida é o que o mundo incrédulo acha incrível”.

O aspecto mais importante na pregação, não é primeiramente a preparação do Sermão, mas sim a preparação do pregador. A bíblia não fala apenas das mensagens que os homens de Deus pregaram, mas a vida que esses homens viveram.

A fala não possui valor, pois a mente se submete a fatos. Quando as nossas afirmações carecem da verdade prática, as pessoas não escutam aquilo que estamos falando. Glen Johsom, professor da Faculdade Teológica de Brasília, apontou três problemas que caracterizam os púlpitos em nosso país:
1- A liderança afirma a veracidade da Bíblia, mas não a explica, nem a vive.
2- A liderança não integra a Bíblia à vida do povo. (Uma pregação aplicativa aos dilemas atuais).
3- A liderança está mais preocupada com os negócios da igreja do que com uma transformação espiritual do povo.

Um dos alvos da pregação essencialmente bíblica é fazer com que a Palavra se torne relevante para os ouvintes. Trazer a correção à pessoa com a Palavra faz parte integral do ministério de restauração na igreja.

Duzentos e cinqüenta anos atrás, a pregação de Jonathan Edwards acendeu um grande avivamento entre as igrejas. Ele foi igualmente, um grande teólogo, um grande pregador e um grande homem de Deus. Desde o início de seu ministério ele era sério e energético em tudo o que fazia. Sua pregação era totalmente séria do início ao fim. Não existe qualquer menção de gracejo em seus 1200 sermões que ainda temos.

Convidado a pregar em uma ordenação em 1744 ele afirmou: “Se um ministro possui luz sem calor, e entretém seus ouvintes com discursos, sem o aroma do poder da fé ou qualquer manifestação de fervor do Espírito, sem zelo por Deus e pelo bem das almas, ele poderá agradar a ouvidos desejosos, e preencher a mente de seu povo com noções vagas, mas provavelmente não ensinará seus corações, nem salvará as suas almas”.

Edwards possuía uma convicção esmagadora da realidade da Glória de Deus, do poder da Cruz de Cristo, da realidade do pecado e do inferno e da real manifestação de Poder do Espírito Santo de Deus. E isso tudo era suficiente para tornar a sua pregação bastante séria.

Lutero afirmou que o grande sinal ou a primeira marca de uma Igreja Verdadeira era a Pregação Fiel da Palavra de Deus. Disse ele: “Sempre onde vemos e ouvimos a Palavra de Deus sendo pregada com pureza, segundo a instituição de Cristo, ali não se pode duvidar, existe uma igreja de Deus”.

O reformador que mais levou a sério a Pregação da Mensagem em seu tempo se chamou Hugh Latimer, em 18 de Janeiro de 1548, após ser solto de um encarceramento, pregou um de seus mais conhecidos sermões. Nessa ocasião exortou os pregadores de seu tempo, que se preocupavam mais com os negócios e com a vagabundagem, com a seguinte colocação:

“E agora farei uma pergunta estranha: Quem é o bispo e pregador mais diligente de toda a Inglaterra, que supera a todos os demais no exercício de seu cargo? Posso contar-lhes, pois sei quem é; e o conheço bem. Mas agora acho que vocês escutando e prestando a atenção para que eu o cite pelo nome. Existe um que ultrapassa todos os demais. E vocês querem saber quem é? Vou contar a todos vocês – Seu nome é Diabo. Ele é o pregador mais diligente entre todos os demais; sabem por quê?
- Nunca está ausente de sua diocese;
- Jamais está longe de sua comunidade eclesiástica;
- Você jamais o encontrará, como muitos aqui, desocupado;
- Você nunca o encontrará indisponível;
- Pode procurá-lo ele sempre o atenderá;
- Onde o diabo está o seu arado funciona; Fora os livros e viva as velas,diz ele!
- Fora as bíblias e vivam os rosários! Viva as tradições e as nossas leis, diz o Diabo!
Quem dera em nosso meio houvesse um pregador tão diligente para semear os grãos de Trigo e da Sã Doutrina, quanto Satanás é para semear as ervas daninhas e o joio – Nunca houve na Inglaterra um pregador igual a ele, nunca houve! Vocês pregadores de hoje, são lordes, não buscam trabalhar com zelo e dedicação na pregação da Palavra Fiel, se até agora não aprenderam com Deus a por a mão no arado, aprendem então com o Diabo que é um ativo trabalhador” 

Um dos alvos da pregação essencialmente bíblica é fazer com que a Palavra se torne relevante para os ouvintes. Trazer a correção à pessoa com a Palavra faz parte integral do ministério de restauração na igreja.

A Igreja Apostólica estava firmada em pelo menos duas colunas:

1- O Kerigma Apostólico (Keryssein = proclamar): Proclamação do Evangelho (proclamação pública do cristianismo ao mundo não-cristão)

2- O Didaquê Apostólico (didasquein = ensinar): Ensino do Evangelho (instrução de caráter ético aos já convertidos)

Basicamente o sermão da Igreja de Atos estava dividido em três partes:
Proclamação – Reflexão – Apelo. 
  • Uma proclamação histórica – At 2:14-28
  • Uma consideração teológica – At 2: 28-37
  • Uma convocação ética. At 2: 38-41
O sermão da Igreja de Atos possui três grandes finalidades:
  • O alvo da pregação: A Glória de Deus.
  • A base da pregação: A Cruz de Cristo.
  • O dom da pregação: O Poder do Espírito.
Nós homens, invalidamos o poder de Deus através da pregação, pensamos muitas vezes que a pregação não tem um alcance ou efeito e por isso nos dedicamos a programar eventos e atividades que nunca são de fato efetivas.

O único instrumento transformador e eficiente ainda é a Palavra de Deus, não importa quem seja o pregador, o que importa é a mensagem que ele está pregando. O Cristo de Deus, o verdadeiro evangelho da Salvação.

Is 55:11 “assim também ocorre com a palavra que sai da minha boca: ela não voltará para mim vazia, mas fará o que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei”.

1Co 1:25 “Porque a loucura de Deus é mais sábia que a sabedoria humana, e a fraqueza de Deus é mais forte que a força do homem”.

O canto do Galo – Mt 26:31-35 / 69-75
De onde Pedro buscava inspiração e porque se tornou em um grande ganhador de almas? Penso que sua mensagem é fruto da ação do Espírito com a experiência pessoal na mensagem do maior pregador que Pedro já ouvira pregar em sua vida: A pregação de um galo (a fraqueza de Deus é mais forte que a força do homem).

Muitos pregadores sucumbem ao Ministério da Palavra, porque se deixam esvaziar da mensagem que um dia tocou o seu próprio coração. O fogo apaga-se, a chama e o desejo de pregar pelo Espírito vão esmorecendo a medida do tempo.

O maior pregador é aquele que consegue atingir o alvo com a sua mensagem. Profetas e grandes homens de Deus na Bíblia, muitas vezes não alcançaram o alvo de sua mensagem. Mas isso não aconteceu com aquele galo, sua mensagem alcançou o objetivo estabelecido por Deus.

Quem era o pregador Pedro antes do canto do galo?
  • Vs 31. Jesus prediz a profecia do profeta Zacarias – Zc 13:7; e relata o abandono do ministério por parte de seus seguidores.
  • Vs 33. Um homem que superestimava a sua espiritualidade. Cheio de si. Que usava do poder do “Eu”. Se auto-declarava o seguidor genuíno de Jesus. O perigo da auto-confiança. Estes são aqueles que não precisam mais ouvir, que não precisam mais aprender, que não precisam mais serem ministrados. Os onipotentes do ministério. Dizem cheios de orgulho: Eu posso, eu faço, eu sei tudo, eu consigo.
O apostolo Paulo exorta o auto confiante: Fp 3:4-8 “embora eu mesmo tivesse razões para ter tal confiança.Se alguém pensa que tem razões para confiar na carne, eu ainda mais: circuncidado no oitavo dia de vida, pertencente ao povo de Israel, à tribo de Benjamim, verdadeiro hebreu; quanto à Lei, fariseu; quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na Lei, irrepreensível.Mas o que para mim era lucro, passei a considerar como perda, por causa de Cristo. Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por quem perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar Cristo”.
  • Vs 34-35. Mesmo depois de uma clara exortação. Aquele que se superestima não consegue ver as suas limitações, nem a sua destruição. Pv 16:18 “O orgulho vem antes da destruição;o espírito altivo, antes da queda”.
Mas agora quero apresentar aquele que atingiu o alvo com a sua pregação. Apresentar quem era a criatura usada por Deus para mudar o coração de Pedro, um homem orgulhoso e cheio de auto-afirmação, num dos maiores nomes do Cristianismo. 

Quem era esse galo?
  • O galo tinha um nome e sobrenome: GRITO NA CONSCIÊNCIA.
  • O galo pregou sobre as duas maiores virtudes de um homem: 1- reconhecer sua fraqueza, 2- E assumir um genuíno arrependimento.
  • O texto base utilizado pelo Galo em sua pregação: 1Co 10:12 “Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia!”
  • O galo era um profeta: Na hora determinada, no momento determinado por Deus, ele estava pregando uma mensagem de arrependimento.
  • O galo entoava um cântico: “Todas as coisas traem, aquele que trai”.
  • Pedro errou profundamente ao compreender que Não deveria negar Jesus, mas negar-se a si mesmo.
  • A tradição da igreja conta a história de que Pedro nos dias em que viveu, ainda se emocionava ao ouvir um galo cantar pela manhã. Não se considerou digno de ser morto como o seu Senhor.
Pedro era um pregador medíocre, antes do canto do galo.
  • Pregava sobre coisas que não podia cumprir em sua própria vida.
  • Assassinava o seu caráter com a sua própria conduta falsa.
  • Um homem que excluía em sua pregação a onisciência de Deus e o tamanho de suas próprias limitações.
  • Pedro havia feito a melhor faculdade teológica. Havia sido discípulo do próprio Jesus. Havia visto a cura da sua sogra, a multiplicação dos pães, e peixes, a transfiguração, andado sobre as águas, mas a sua vida estava alicerçada em sua força e em seu poder. Fica claro no texto que ele negou três vezes. Ele negou a totalidade de Deus. Ele negou completamente. Sua negação não era fruto de um impulso momentâneo.
O que nós aprendemos com a mais eficaz pregação da Bíblia? 
O canto do galo acontece todos os dias na natureza, para nos lembrar das seguintes coisas:
  1. Nós temos muita facilidade em admitir a debilidade dos outros, mas não admitimos a nossa própria debilidade. Vs 33-34
  2. Quando vivemos falsamente sempre existem circunstâncias que nos traem. Vs 73. Pedro falou em Aramaico, a língua dos galileus.
  3. O verdadeiro teste de fidelidade não acontece apenas com palavras, mas principalmente vivendo experiências reais Vs 75.
Conclusão:
Todo aquele que confia em sua própria força para pregar acaba caindo em uma estafa espiritual e em enredos da própria mente. Na verdade precisamos reconhecer nossas limitações, não para nos eximir da proclamação do Evangelho, mas para transformar nossas palavras pregadas em palavras de sinceridade e vida com Jesus.

O galo alcançou o seu alvo, a pregação de Pedro não se sustentou. Isso mostrou que quando Jesus esta no controle de nossas vidas, nossa pregação, nosso caráter, o tempo determinado para todas as coisas acontecem. Deus é totalmente fiel...eu não!

QUEM SÃO OS MAIORES INIMIGOS DA IGREJA?


Um texto que chama a atenção de todos os líderes, na Bíblia, sobre o desenvolvimento de uma igreja, encontra-se no livro de Atos dos Apóstolos. “E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.”( At 2.42). Essa igreja possui uma unidade incrível de pensamento, ações, interação e propósito.

Hoje existe uma divisão instaurada dentro do Corpo de Cristo que é escandalosa. A maior taxa de crescimento de novos ministérios é fruto, não de uma visão ministerial, mas de uma DIVISÃO ministerial.

Sabemos que um movimento só prevalece se houver nele unidade de propósito e união entre as partes envolvidas. Até mesmo Satanás sabe da necessidade de manter a unidade no desenvolvimento de um projeto. Jesus nos revelou algo sobre isso:

Mas quando os fariseus ouviram isso, disseram: É somente por Belzebu, o príncipe dos demônios, que ele expulsa demônios. Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo será arruinado, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá. Se Satanás expulsa Satanás, está dividido contra si mesmo. Como, então, subsistirá seu reino?” (Mt 12:24-26).

A comunhão entre nós é extremamente importante, isso nos levará a alcançar alvos cada vez maiores. Acreditamos que não é possível reunirmos um grupo grande de pessoas em torno de um mesmo propósito, mas isso não é real. A Bíblia claramente nos diz que isso é possível:

“A igreja passava por um período de paz em toda a Judéia, Galiléia e Samaria. Ela se edificava e, encorajada pelo Espírito Santo, crescia em número, vivendo no temor do Senhor.” (At 9:31).

O próprio endemoninhado gadareno é uma prova cabal de que uma LEGIÃO (6 mil demônios) podiam viver em unidade dentro de um mesmo corpo.(Mc 5:9-10) Uma vergonha para a igreja de hoje!

Quais são, portanto, as maiores causas de divisão? Quais são os maiores inimigos da comunhão nas igrejas de hoje? Quais são as armas mais letais para matarem um ministério?

1. IGNORARAM INTENCIONALMENTE A CONUNHÃO DO CORPO.
Alguns irmãos na igreja, deliberadamente, dificilmente comparecem às reuniões de culto, mesmo residindo no próprio bairro/cidade.

2. FORMADORES DE DIVISÃO NO CORPO.
Muitos estão de relações cortadas com o ministério por insignificantes futilidades ou competições ridículas. Pregam eloqüentemente o quebrantamento e perdão para os fiéis. Contudo, não capazes de reconhecer quando erram e jamais pedem perdão ou perdoam. 

3. MANIPULADORES DO CORPO.
Ministérios existem que transformam seus rebanhos em verdadeiros impérios particulares. Ali eles gritam, mandam, desmandam e impõem manipulativamente sua vontade. Ora, alguém portador de tal espírito, oculta no íntimo um certo medo de que o contato freqüente com outros pastores venha lhe prejudicar o "reinado". Por isso, repelem a idéia de viver em comunhão com outros colegas, pois os vêem como concorrentes e não como companheiros da mesma seara.

4. FALTA DE EXEMPLO AO CORPO.
Observe esta ordem do respeitável apóstolo Paulo ao jovem obreiro Timóteo: "Sê o exemplo dos fiéis... " (1 Tm 4. 12). A palavra "exemplo" é a tradução do termo grego - "tupos" - e significa também: padrão, modelo, algo que deve servir de molde, onde as pessoas possam copiar ou reproduzir com exatidão o original. Não foi por acaso, que na invenção da Imprensa, as letras originais receberam o nome técnico de "tipos". Agora pergunto: Se os Ministros de Deus, que deveriam ser "tupos" vivem assim, como endireitar a Igreja na área da comunhão? Oremos para que Deus restaure a Igreja. Não creio que a Igreja seja restaurada, sem que haja uma restauração no Ministério, principalmente no campo da comunhão. E algo me diz que tenho endosso bíblico. Notem que no regresso da Babilônia, Esdras se preocupa primeiro em restaurar os Sacerdotes/Levitas (ministério), e em seguida, dá início à reconstrução do Templo(Igreja). Sobre a Igreja Primitiva foi dito: "Vejam como eles são unidos!" 

5. INCAPAZES DE LIDERAREM O CORPO, POIS NÃO LIDERAM SUAS CASAS.
Sabemos de conflitos conjugais em famílias cristãs, e isso, na maioria das vezes, diante dos filhos que estão em formação. O que vamos esperar das crianças? Ou dos filhos que estão em formação? Ou da igreja de amanhã? Diante desse quadro calamitoso em que se encontra o lar cristão, o que é que podemos esperar da comunhão na Igreja? Não são somente os lares de ovelhas que se encontram nesse estado. Temos notícias também de pastores, em cujos lares reina a desordem e a falta de comunhão. Onde a autoridade para ordenar que as ovelhas vençam seus conflitos familiares e vivam em harmonia? Pais cristãos, principalmente pastores, cultivem comunhão entre si, se querem que seus filhos e a Igreja a tenham. Rechacem qualquer atitude agressiva ou de separação entre as crianças. Pensem no que disse Jesus: "Toda casa dividida contra si mesma ruirá." - São essas coisinhas de hoje, que você acha inofensivas, que porão o seu lar em ruína total, e a Igreja seguirá o mesmo caminho. O ideal de Deus é que toda família comungue numa mesma igreja local, exceto os que já constituíram famílias e residem em outro lugar.

6. CIGANOS QUE VÃO DE CORPO EM CORPO.
Quantas centenas de crentes fazendo rodízio eclesiástico. Isto é, trocando de Igreja como quem troca de roupa. Se pergunta a um deles qual o motivo desse "santo turismo", logo responde em tom muito espiritual: "Sabe, onde eu estava não me sentia muito bem." - E às vezes, nós pastores balançamos a cabeça hipocritamente e retrucamos: "É verdade irmão, a pessoa deve ficar onde se sinta bem." - Que verdade coisa nenhuma! Onde está a verdade? Porque somos tão fingidos e desonestos? A verdade é que este irmão não passa de um crente anormal, um alienado, um inimigo número um da comunhão no Corpo de Cristo. Era isso que devíamos dizer-lhe sem cerimônias.

7. FALTA DE UNIÃO DO CORPO.
Outros existem que não se sentam em determinados bancos do salão de culto, porque o irmão fulano, que ele detesta, está ali. Dá graças quando o salão da Igreja tem duas portas de saída. Isso lhe dá a opção de evitar o comprimento ao outro irmão na outra saída. A Igreja de hoje está agonizando em matéria de comunhão. Ela tem estado reunida, mas não unida. O pior é que este quadro se agrava dia a dia. Fica a pergunta: O que se pode esperar de uma Igreja sem comunhão? A resposta lógica, está na tremenda tese de Jesus: "a casa..., cidade... e o Reino divididos contra si mesmos não subsistirão." Conscientizemo-nos desses inimigos mortais. Vençamo-los já!

OUSADIA - É A SOMA DA INICIATIVA + A FÉ


O exemplo do Rei Asa – 2Cr 14:11

A iniciativa é a qualidade que distingue o notável do comum. Deus está procurando pessoas com iniciativa para o Seu Reino.

A falta de iniciativa é um dos grandes obstáculos ao desenvolvimento de uma pessoa e a apatia de uma vida. Aquele que faz só o que lhe é exigido se aproveita do trabalho alheio ou adota a lei do mínimo esforço, tem poucas chances de avançar e crescer na vida, secular ou espiritual.

Hb 10:38-39 “Mas o meu justo viverá pela fé. E, se retroceder, não me agradarei dele" . Nós, porém, não somos dos que retrocedem e são destruídos, mas dos que crêem e são salvos”. 

Esta Palavra nos fala sobre o contraste entre acreditar e voltar ou retroceder. Isso significa que fé tem a ver com ir adiante, ir além. Ter fé é pensar e agir para frente, para o crescimento. Tg 2:17 “Assim também a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta”.

Existe uma grande diferença entre uma fé producente e uma crença religiosa. A fé ela só é viva, quando ela é produtiva, quando ela gera fruto. Uma fé sem fruto, sem trabalho, sem envolvimento, sem crescimento, é uma fé morta, é simplesmente uma crença religiosa ou até mesmo ideológica.
Muitas vezes nós associamos fé com interceder, com profetizar, com jejuar. Associamos fé com ter visões, com estudar a Bíblia, com ir à igreja. Mas somente isso não é fé, faz parte da fé, mas só isso não é fé. A fé vai além das coisas relacionadas com o divino, com o místico. 

A fé está relacionada com manifestar ações por aquilo que acredito:

- Se acredito que Deus é meu provedor e galardoador, porque não confio Nele e me torno uma pessoa mais desprendida das coisas?

- Se acredito que Deus pode curar, porque não invisto uma parte do meu tempo em fazer capelania e visitar doentes e enfermos?

- Se acredito que Deus perdoa as minhas debilidades, porque eu tenho dificuldade em perdoar aquilo que as pessoas fazem comigo?

- Se acredito que Deus é Santo, porque tenho dificuldade em viver em santidade de vida?

- Se acredito que Deus é Fiel, porque tenho dificuldade em permanecer fiel com minha igreja, meu pastor, ou com meus irmão e amigos?

Tg 2:18 -"Mas alguém dirá: "Você tem fé; eu tenho obras". Mostre-me a sua fé sem obras, e eu lhe mostrarei a minha fé pelas obras."

Quando possuímos uma fé aprovada?

Uma das artimanhas do inimigo é incutir em nós a idéia de que Deus vai fazer e concluir projetos sem a nossa iniciativa. Deus não nos dará nada fora de nossa iniciativa. Deus concede graça, mas quando nos dispomos, quando nos envolvemos. Ele nos abençoa ricamente.
Um trabalhador acha justo o salário que ele recebe no final do mês, pelo seu envolvimento, pela sua atenção e pelo seu trabalho de fato em um determinado projeto. Mas quando ele se dispõe a ir além (toma uma iniciativa), então esse funcionário ganha um bônus (recompensa).

Assim funciona na vida de fé. Nós não devemos retroceder, não devemos voltar. Uma fé aprovada é uma fé que vai adiante das circunstâncias. Uma fé que vai além das possibilidades visíveis. Uma fé que foi trabalhada e moldada pelas experiências com Deus.
  • Como vamos acreditar ser Deus um Galardoador se nunca passarmos apertos?
  • Como vamos acreditar que Deus pode curar se nunca estivermos doentes?
  • Como vamos acreditar que Deus pode mudar circunstâncias, se não vivermos crises e problemas?
Rm 5:1-5 “Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança, a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança (FÉ= Hb 11:1 A fé é a certeza das coisas que se esperam...) E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu”.

Muitas vezes a dificuldade que temos no pedir encontra raiz no orgulho humano. Pensar que Deus vai me fazer sem a minha iniciativa, sem a minha disposição muitas vezes é pensar pela ótica da indiferença ou até mesmo da passividade. Uma fé passiva é uma fé sem sonhos, sem projetos. Uma fé sem alvo. Quantos sabem por que estão aqui hoje?

Se nós estamos aqui hoje, em uma igreja ou num grupo de estudo é porque alguém tomou a iniciativa de orar por nós, de nos apresentar o Evangelho. A iniciativa de ajustar a Agenda de Deus com a sua própria agenda. A iniciativa de deixar um pouco a própria vida de lado para levar-nos até a presença de Cristo. Alguém fez alguma coisa. Alguém se envolveu com o Reino de Deus.

Existe ainda muita gente que pensa “calvinianamente” com relação à responsabilidade que temos sobre a nossa fé. Ainda que eu não queira Deus já determinou, portanto mesmo que eu não faça, Deus vai fazer! Será essa uma verdade absoluta?

Se isso fosse verdade, porque será que Deus não previniu Adão e Eva, ou porque Deus não agiu de forma preventiva com cidades, nações e povos, alertando e mudando soberanamente o curso da história. Será que Deus desejava tudo aquilo mesmo?
Porque Deus não previniu a humanidade de conviver com um homem como Hitler ou Sabimbi? Porque Deus não mudou os cursos da vida humana, para que a Segunda Guerra não chegasse? Sabemos por quê! Porque Deus deixou para a minha e a sua escolha, mudar a nossa história. Deus não nos previniu, Ele nos redimiu.

Estamos vivendo tempos em que pessoas estão buscando esferas de vida robóticas, os seres humanos parecem viver em linhas de produções, fazendo tudo igual, sendo pessoas iguais. O legal é estar na moda (o que é estar na moda, senão ser igual a todos). Vivemos um mundo de pessoas sem iniciativa, pessoas sem fé.

É preciso que eu e você tenhamos uma fé dotada de inciativa. Uma fé aprovada pela luta e pela confiança no caráter de Deus. Judas nos alertou dizendo que viveríamos dias em que nossa fé seria atacada, e que precisaríamos LUTAR por ela.

Jd 1:3 “Amados, embora estivesse muito ansioso por lhes escrever acerca da salvação que compartilhamos, senti que era necessário escrever-lhes insistindo que batalhassem pela fé de uma vez por todas confiada aos santos”.
PRINCÍPIOS
  1. Não existe autoridade espiritual sem assumir responsabilidades práticas.
Compreenda que todos possuem responsabilidades espirituais diante de Deus.
Cl 1:25/29 -Dela me tornei ministro de acordo com a responsabilidade, por Deus a mim atribuída, de apresentar-lhes plenamente a palavra de Deus... Para isso eu me esforço, lutando conforme a sua força, que atua poderosamente em mim.
  1. Vale mais poucas ações do que muitas palavras..
Compreenda que a fé vem pelo ouvir, mas a benção vem pelo cumprir o que se ouviu.
Tg 1:25 “Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita, que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer”.
  1. Nada na vida se alcança sem perseverança.
Compreenda que todo alvo só possui um caminho: A persistência!
Mt 7:7 "Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta. Pois todo o que pede, recebe; o que busca, encontra; e àquele que bate, a porta será aberta."
  1. Tomar iniciativas prevê problemas.
Decidimos tomar decisões apenas quanto estamos mal. Oramos quando estamos em apuros. Investimos em segurança quando somos roubados, etc.
Fp 3:13 “Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante”.